Ele responde

O glaucoma, sem dúvida, é uma doença que chega silenciosa, gradativamente, sem a pessoa perceber, danificando o nervo óptico causando a cegueira. Alguns bebes, porém, já nascem com glaucoma congênito. Foi assim que aconteceu com minha filha Beatriz aos três meses de idade quando descobriram que ela nascera com a doença e, consequentemente, a perda de visão. Desde então, vivemos dias difíceis e de incertezas em relação ao seu futuro, uma vez que, dia a dia, sua visão estava diminuindo.

Eu sempre orava ao Senhor pedindo um milagre. Os anos foram passando, a necessidade de várias cirurgias chegou, e o inevitável também: alfabetização no Sistema Braille de Leitura e locomoção com a bengala. Contudo nossa alegria sempre esteve no Senhor e Beatriz aprendeu, desde muito pequena, a ser grata ao Deus que a formou e aos oito anos escolheu seu versículo de fé: “Quanto a mim, confio em Ti Senhor. Eu disse: Tu és meu Deus. ” Salmo 31.14. Com o coração cheio de fé, ela creu que seu milagre chegaria. E chegou!
Em abril deste ano, pouco antes de completar 18 anos, Deus a abençoou com o presente que tanto sonhara usando o Dr. Durval Carvalho, em Goiânia (GO), para fazer uma cirurgia que mudaria a vida de minha filha e também a nossa como pais.

O primeiro milagre foi a maneira maravilhosa como a igreja de Cristo se envolveu financeiramente para que a cirurgia acontecesse, pois todo dinheiro necessário para o tratamento foi suprido em apenas 3 dias. Não é surpreendente? Muitos não criam que isso poderia acontecer, mas no nosso coração havia a certeza do milagre já realizado. O segundo milagre veio nos dias 26 e 28 de abril quando as cirurgias foram realizadas. Primeiramente no olho direito e depois no olho esquerdo. O dano causado pelo glaucoma em sua visão é irreversível, por isso as perdas causadas por ele não foram solucionadas com a cirurgia. No entanto, ela manteve o nível de visão existente e melhorou a capacidade de Beatriz enxergar. Nunca me esquecerei da emoção e do choro de alegria da minha filha ao ver, pela primeira vez, um pequeno detalhe no box do banheiro de nossa casa. Eu já estava tão acostumada com aquele detalhe que nem percebia, mas sua existência, naquele dia, tornou se algo de grande valor para mim. Meu esposo chorou ao perceber que ela conseguia ler a projeção das músicas no telão da igreja.

Nosso Deus é Deus de milagres e, a cada dia, quero continuar amando e servindo-o de todo o meu coração, pois grandes coisas Ele tem feito por nós. Quero expressar aqui minha gratidão a muitos irmãos que oraram conosco e criam nesse milagre durante todos esses 18 anos. Quero animá-los a continuar perseverando na oração. Não importa quanto tempo leve para ver nossas orações respondidas, o que importa é que Deus sempre responde.

Valdineia de Almeida Siqueira