Embaixadores em nome de Cristo

Ser embaixador de Cristo é um grande privilégio e também uma grande responsabilidade.

“De sorte que somos embaixadores em nome de Cristo, como se Deus exortasse por nosso intermédio. Em nome de Cristo, pois, rogamos que vos reconcilieis com Deus.” 2Co 5.20.

Ser embaixador de Cristo é um grande privilégio e também uma grande responsabilidade. O embaixador é vocacionado por Cristo, feito nova criatura, capacitado pelo Senhor e alvo da confiança de Cristo, pois quem chamou, vocacionou, capacitou e enviou, espera o cumprimento da missão com fidelidade. Ele nos confiou a palavra de reconciliação. 2Co 6.19. O privilégio é grande e envolve um compromisso que requer obediência, fidelidade e amor. O que se requer dos despenseiros é empenho, esforço e consagração.

O apóstolo Paulo escrevendo a sua segunda carta à Igreja de Corinto afirma que não somos capazes, por nós mesmos de pensar alguma coisa, como se partisse de nós; pelo contrário, a nossa suficiência vem de Deus. 2Co 3.5. Deus nos habilitou para sermos ministros de uma nova aliança, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata, mas o espírito vivifica. 2Co 3.6. Na realização deste serviço não desanimamos, pelo contrário, mesmo que o nosso homem exterior se corrompa, contudo, o nosso homem interior se renova de dia em dia. 2Co 4.16. O andar do embaixador de Cristo é o andar por fé e não pelo que vemos. 2Co 5.7. Lutas e provações enfrentaremos, porém não desistimos de cumprir a tarefa a nós confiada. Obedeceremos até o fim à ordem de Jesus.

Somos embaixadores em nome de Cristo e devemos proclamar as boas novas de salvação a todos os homens, em cada cidade, em cada estado, em cada nação e em cada tribo. A ordem dada por Jesus a todos os seus discípulos é para irem por todo o mundo, pregando o Evangelho a toda criatura. Mc 16.15. Onde houver uma pessoa que não ouviu o Evangelho devemos ir e pregar. Nas grandes cidades ou na tribo de difícil acesso na Amazônia, o Evangelho precisa ser anunciado. As pessoas ouvirão se os embaixadores pregarem e esta tarefa é confiada a todos que crêem em Jesus.

Deus tem chamado pessoas para pregarem o Evangelho nas grandes cidades e Deus tem comissionado servos seus para proclamarem as boas novas às tribos indígenas. Não importa o lugarem que Deusnos enviar, importa pregar com fidelidade a mensagem do Evangelho, para que todas as raças, tribos e nações ouçam a mensagem que liberta o homem da escravidão do pecado e o torna uma nova criaturaem Jesus. Oque se espera de cada um de nós é que sejamos fiéis não dando nenhum motivo de escândalo ou coisa alguma, para que o ministério não seja censurado. 2Co 6.3. O que se requer dos despenseiros é que cada um deles seja encontrado fiel. 1Co 4.2.

A mensagem a ser proclamada é aquela que o Rei Jesus autorizou os seus embaixadores pregar. Não falamos o que é do nosso interesse particular, pregamos tão somente a Cristo e este crucificado. 1Co 2.2. O apóstolo Paulo nos deixou o seu exemplo como embaixador de Cristo, quando pregou o Evangelho na cidade de Corinto. “A minha palavra e a minha pregação não consistiram em linguagem persuasiva de sabedoria, mas em demonstração do Espírito de poder, para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria humana, e sim no poder de Deus.” 1Co 2.4,5. Somente o Evangelho é o poder de Deus para a salvação de todo o que crê. O que falamos em nome de Cristo, como seus embaixadores é que os homens se reconciliem com Deus. 2Co 5.20. Para o homem pecador existe uma mensagem que transforma sua vida e devemos pregar com ousadia e intrepidez o Evangelho.

Ser embaixador do Reino dos Céus, onde Cristo vive e reina, requer de nós obediência à ordem dada pelo Senhor, fidelidade em pregar somente o que Cristo ordena e fazê-lo como demonstração de amor aos que estão morrendo por não conhecerem a Jesus. Cumprimos a nossa missão quando compreendemos que o amor de Cristo nos constrange, pois Ele morreu por nós, para que salvos por sua graça não vivamos mais para nós mesmos, mas para aquele que por nós morreu e ressuscitou. 2 Co 5.14,15. Porque Deus nos amou em Cristo e nos salvou, também nós amamos e desejamos que os outros saibam desta verdade. A seara é grande, poucos são os trabalhadores e o que se dispõe a servir deve fazê-lo com amor no coração para com o homem que ainda não ouviu o Evangelho. O embaixador de Cristo ama o seu Senhor, tem prazer no que faz e ama as pessoas que ele evangeliza.

Esta tarefa é urgente, inadiável e intransferível. Somos embaixadores e não podemos omitir, mandar outro em nosso lugar ou fugir da missão a nós confiada. Eis, agora, o tempo sobremodo oportuno, eis, agora, o dia da salvação. 2Co 6.2. Não deixemos para amanhã, não sejamos omissos no trabalho, não esperemos que outro vá em nosso lugar. Deus nos escolheu, nos chamou, nos comissionou, nos capacitou e nos enviou. Somos privilegiados e temos a grande responsabilidade de sermos embaixadores em nome de Cristo, sabendo que Deus espera de todos os servos que proclamem a boa nova de que Deus em Cristo reconciliou consigo mesmo o pecador, em obediência, fidelidade e amor.(Extraído da Revista Confins da Terra, número 150, Julho a setembro de 2012).

Rev. Natanael Miguel Salum, pastor da Capela Presbiteriana de Anápolis, casado com Mônica. O casal tem dois filhos: Timóteo e Loide