Iniciando um ano novo

“Porque a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens.  Ela nos ensina a renunciar à impiedade e às paixões mundanas e a viver de maneira sensata, justa e piedosa nesta era presente, enquanto aguardamos a bendita esperança: a gloriosa manifestação de nosso grande Deus e Salvador, Jesus Cristo.” Tito 2:11-13

“Porque a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens.  Ela nos ensina a renunciar à impiedade e às paixões mundanas e a viver de maneira sensata, justa e piedosa nesta era presente, enquanto aguardamos a bendita esperança: a gloriosa manifestação de nosso grande Deus e Salvador, Jesus Cristo.” Tito 2:11-13

 

Estes versos me parecem conter muita sabedoria sobre as realidades da vida e para como devemos viver nos dias de hoje. Em meio a uma série de instruções para: homens mais velhos, mulheres mais velhas, mulheres mais jovens, jovens e escravos, ou, nos nossos tempos, empregados, encontramos este lembrete que fala do motivo destas instruções – porque a graça de Deus se manifestou, disponibilizando salvação para todos os homens.

 

Esta maravilhosa graça nos traz estas instruções e nos ensina a deixar as coisas deste mundo que não prestam e a “viver de maneira sensata, justa e piedosa nesta era presente”. É, são palavras bem acertadas para o início de um ano. Podemos tê-las como meta para o ano que se inicia, aliás, devemos. Jesus trouxe para nós graça, coisa não merecida por nós, isto nos dá esperança – de, como parte da noiva de Cristo, a igreja, fazermos parte da “gloriosa manifestação de nosso grande Deus e Salvador, Jesus Cristo”. Por isso é que devemos deixar as coisas da carne e do mundo e viver de maneira sensata, justa e piedosa nesta presente era.

 

Estamos no mundo, em meio a uma humanidade que carece do conhecimento correto do grande Deus que trouxe para todos a salvação da graça. Assim é nosso privilégio e nossa responsabilidade, a de vivermos de acordo com esta realidade. Que brilhe a nossa luz! Eu pessoalmente quase nunca me apresento como ‘pastor’. Apenas o fazendo para certos grupos que esperam isto de mim. Porém, são muitos os que se dizem ‘pastores’ mas que tem deixado um mau testemunho, no comércio, na mídia e em tantos lugares. Irmãos, é importante sermos seguidores de Cristo que saibam “viver de maneira sensata, justa e piedosa nesta era presente”. Não podemos permitir que os maus testemunhos prevaleçam no conceito que o mundo tem de nós, os seguidores de Cristo.

 

Vou concluir com o verso 8 do capítulo 3: “Fiel é esta palavra, e quero que você afirme categoricamente essas coisas, para que os que crêem em Deus se empenhem na prática de boas obras. Tais coisas são excelentes e úteis aos homens.” Irmãos, fomos criados em Cristo para praticarmos obras boas. Que Deus nos fortaleça com corajem, ânimo e paixão para isto.

 

Missionário Daniel Royer