Memórias Biográficas de Desmond Derbyshire

                 O trabalho de Desmond tem lugar memorável na história e no coração dos Hixkaryana.

Missionário da Sociedade Linguística Internacional (SIL), Desmond Derbyshire morou com os Hixkaryana, juntamente com sua esposa Grace, entre os anos 1959 e 1975, mas continuou fazendo visitas e ensinando o povo até sua saúde não mais permitir. Foi o primeiro a aprender e analisar a língua nativa, único meio pelo qual viria a traduzir o Livro de Deus – Khoryenkom Karyehtanà, como é chamado o Novo Testamento em hixkaryana.

O que se segue agora é um relato de como Desmond Derbyshire e sua esposa, Grace, chegaram entre eles para realizar o desejo de alcançá-los com a Boa Palavra.

O Enviado de Deus – Lembranças dos Hixkaryana sobre Desmond

O povo conta que Wanawa, um dos antigos, saiu de sua aldeia viajando até chegar à cidade de Oriximiná, no Pará, onde acabou se encontrando com Desmond, que falou do seu desejo de trabalhar entre os Hixkaryana. Wanawa lhe contou sobre seu povo e o levou para sua terra.

Pouco tempo depois, Wanawa faleceu e Desmond mudou-se para a aldeia Kassauá. De lá, ele foi com Kaywerye e Waraka para a cabeceira do Rio Nhamundá a fim de contatar os grupos dispersos naquela região e convidá-los para morar também no Kassauá. Ali ele começou o trabalho de alfabetização na própria língua e em português, e sua esposa, Grace, atuou na área da saúde.

Inicialmente, Desmond não falou de Jesus. Ele queria primeiro conhecer a língua e sempre perguntava a respeito da cultura do povo. “Ele se pintava, pintava o rosto e dançava junto com o povo. Waraka e Kaywerye contavam as histórias do povo para ele. Por causa disso, ele aprendeu a nossa língua”, conta Oberto Ahyafo.

Depois de ter passado um tempo mais longo, quando já sabia bem a língua hixkaryana, Desmond passou a ensinar o povo sobre Jesus. Paulo Nazaré Yohxa conta que ele ensinava a Palavra de Deus diariamente.Com isso, conforme foram entendendo, as pessoas foram aceitando a Jesus. Yohxa acrescenta: “Eu também estava ouvindo e entendendo bem. Ouvi que Jesus voltaria do céu e que eu precisava aceitá-lo. Por isso, eu o aceitei e me batizei também”.

Desmond passou a trabalhar também na tradução. Ele traduziu o Novo Testamento e fez o rascunho inicial do Velho Testamento junto com vários hixkaryana, que eram seus auxiliares e seus professores, ensinando-lhe a língua “para que ele pudesse escrever bem o Livro de Deus”. “Foi assim que começou a Boa Palavra entre nós, porque Desmond a trouxe”, conta Oberto Ahyafo.

Ensinando a Palavra de Deus e atuando na área da saúde, Desmond e Grace salvaram muitas vidas. Com o fim do infanticídio e com o tratamento contra as doenças, o povo aumentou muito em número. “Hoje nós somos muitos, mas naquela época, na época do Kaywerye, nós éramos bem poucos, talvez uns sessenta. Eu mesmo vim morar no meio daquele grupo pequeno. Meus parentes tiveram filhos e netos e aumentaram, conforme a vontade de Deus. Assim, Deus fez seus servos aumentarem por causa da sua fidelidade”, conta José Moreno.

O trabalho de Desmond tem lugar memorável na história e no coração dos Hixkaryana. José Moreno diz: “Foi assim que a Boa Palavra começou aqui, por causa do Desmond. Por isso, hoje os hixkaryana são servos de Jesus, são servos de Deus, e são conscientes de seus próprios pecados, por ouvirem o que foi ensinado sobre o Livro de Deus”. E Mahxawa diz: “Desmond chegou quando eu ainda era jovem. Hoje eu já estou velho, mas continuo confiando em Deus, continuo servindo a Deus. Eu aceitei a Jesus e fui batizado. Esse é o meu testemunho. Antes nós éramos ignorantes, nós vivíamos de qualquer jeito, não tínhamos alguém que nos liderasse para fazer o bem. E agora nós somos servos de Deus”.

Evidentemente, Desmond Derbyshire, o enviado de Deus ao povo hixkaryana, completou sua carreira e cumpriu seu chamado. Seu trabalho rendeu bons frutos para a qualidade de vida do povo aqui na terra e, mesmo após Deus tê-lo levado, seu trabalho ainda permanece, dando frutos para a vida eterna.

Relato dos pastores hixkaryana Paulo Nazaré Yohxa, Manduquinha Mahxawa, José Moreno Yasàhtxe e Oberto Ahyafo. Traduzido e compilado por Maria Perpétua – missionária da MNTB.