O Primeiro Presidente Brasileiro da MNTB – Luiz Monteiro da Cruz

Em 1959 o Sr. Luiz Monteiro da Cruz assumia a presidência, tornando-se o primeiro presidente brasileiro da Missão. 

O Presidente da República, Juscelino Kubitschek, em pleno mandato, cumpria a sua maior promessa da campanha eleitoral. A construção de Brasília – transferindo a Capital Federal do Rio de Janeiro para o Planalto Central e a MNTB já firmada há 6 anos, alcançara mais um grande objetivo: a transição da liderança estrangeira para a nacional. Em 1959 o Sr. Luiz Monteiro da Cruz assumia a presidência, tornando-se o primeiro presidente brasileiro da Missão.

Descendente de portugueses nasceu no inicio do século XX, na cidade de Santos, litoral paulista. Casou-se cedo com Luisa, com quem teve quatro filhos. Em 1939, aos 29 anos de idade, D. Luisa adoeceu, deixando-o viúvo aos 32 anos de idade. Após 6 anos de muitas dificuldades, casou-se novamente com Dona Liane, com quem teve mais duas filhas. Mudou-se para São Paulo, onde se tornou membro de uma Igreja Presbiteriana Independente. Ali lecionava para os jovens na escola bíblica dominical, mas isso para ela não era suficiente, então evangelizou em diversos pontos da cidade implantando várias congregações. Em 1956, mais precisamente no natal, ele reuniu toda sua família para anunciar que deixaria seu cargo de executivo na Cia União para se tornar um missionário. “O sonho do meu pai era que todos, inclusive nós, fossemos missionários. Ele foi ao campo renunciando sempre os interesses da família, embora nunca a negligenciasse”, lembra o Dr. Luiz Antônio Monteiro Cruz, filho de Luiz Monteiro.

Quando Luiz Monteiro fez essa opção, estava decidido a se desligar de tudo o que era material e seguir o seu coração, mas para o alto escalão da Cia União, isso era loucura. Então, no inicio de 57, o Sindicato da classe o enviou para um psiquiatra, achando que aquela atitude era loucura. Depois desse ato desesperado, a empresa tentou uma última cartada: dobrar o seu salario para que ele permanecesse. Não houve acordo e os empresários da Cia. União, tiveram que contratar quatro pessoas para substitui-lo.

Já com 50 anos de idade, em 1957, ele e sua família começaram uma nova vida. Luiz ingressa no Instituto Bíblico Peniel. Logo que saiu do Instituto, assumiu o posto de tesoureiro, tornando-se uma peça chave para a nacionalização da área administrativa e uma rápida estruturação da Missão.

“Meu pai enfrentou muitas barreiras para seguir o seu chamado, principalmente a adaptação da família à nova realidade”, continua o Dr. Luiz.

Por conta de seu amor ao trabalho missionário, contribuía com 70% de seu salário. Muitos até hoje não alcançaram esse patamar de amor ao trabalho.

Durante 20 anos, Luiz Monteiro da Cruz serviu a Deus na Missão, e já bastante enfermo expirou debruçado sobre os papéis em que estava preparando um relatório e traçando alguns planos e sonhos que tinha para a expansão dos trabalhos da Missão.

Revista Confins da Terra – Julho a Setembro de 2003, Número 115.